Umbanda: Texto: Caboclo Ubirajara Peito de Aço
 


Caboclo Ubirajara Peito de Aço
Caboclo Ubirajara

Pub 2017

Segundo o próprio Ubirajara, ele era um guerreiro da tribo dos Tupi-nambá, e nasceu aproximadamente em 1556 no território onde hoje e á Bahia.

Segundo seu Ubirajara, ele foi feito guerreiro muito jovem porque naquela época sua tribo estava em guerra com os homens brancos (Os portugueses).

E sua tribo inimiga os tupiniquins, a maioria estava doente e os jo-vens eram recrutados e treinados muito cedo.

Com 16 anos ele enfrentou os portugueses e quase foi morto, mais quando ele completou 20 anos destruiu mais de 200, e o líder branco foi comido pela tribo.

Ele ganhou fama porque só foi vitória quando ele liderava, sua fama foi tanta que os portugueses já tinham medo de andar nas matas onde pertenciam os tupinambás, e principalmente do índio com os peitos largos, alguns portugueses chamavam seu Ubirajara de fantas-ma da morte, ou o próprio Diabo.

Na nova lei estabelecida entre os tupinambás era devorar os que so-brevivessem, e piedade não era muito praticada entre eles, Ubirajara também invocava os espíritos da floresta, e principalmente os guer-reiros e devoto firme de Tupã (Deus em tupi-guarani), gostava de usar arco e flecha, escalava perfeitamente as árvores, sanguinário, com uma aparência séria e bonita, forte, feição fechada, com 30 anos Ubirajara se torna Cacique e lidera mais uma investida contra o homem branco, nessa investida eles matam mais de 1000 portugueses e tem apenas 67 perdas.

Ubirajara relata que nunca perdeu uma guerra, á única guerra que ele e sua tribo não ganhou foi a ignorância, pois com o ritual do caniba-lismo, ele e a tribo inteira pegaram doenças graves, doenças que os ín-dios não estavam preparados para enfrentar, e sua tribo foi extinta em 1604, Ubirajara morreu doente por volta de 1580.

Essa e a história do Caboclo Ubirajara, contada por ele mesmo em uma oportunidade que tivemos para conversar, ele trabalha na linha da Cabocla Jurema.

Ele me falou que muitos irmãos dizem que ele e seu nome é um nome de uma grande linha de Umbanda, outros dizem que ele nunca foi ín-dio, e isso só aumentou o mito Ubirajara, mais que ele deixe bem cla-ro, fui índio brasileiro, guerreiro e hoje cumpro minha missão com meus irmãos e filhos de santo em nome de Deus.


Fonte: Site Anjos de Luz

Pub 2017

Mensagem do Caboclo Ubirajara

Por mais longa que seja a caminhada...

Por mais íngreme que seja o caminho...

Por mais pedras e obstáculos que possas encontrar...

Não desistas!

A convicção na certeza de alcançarmos nossos objetivos, nos fará su-portarmos todas as intempéries e incertezas que o futuro nos indicar.

Pois, somente assim, ao raiar de um novo dia, conseguiremos ver a brilhante luz do sol, e sentir o calor que só ele produz, a aquecer-nos o coração enrijecido pela noite fria da incerteza e da dúvida.

A confiança no Pai Oxalá, fará com que caminhemos resolutos para o futuro, em busca de nossos objetivos, cumprindo nossas tarefas e, a cada irmão de caminhada estendendo a mão, e doando-nos sem olhar a quem, para quem ou por quem.

Somente assim, diante das provas emergentes que nosso passado nos encaminha à restauração, através do abençoado cadinho da purifica-ção moral, e no agasalho material do corpo, poderemos, como a fê-nix, ressurgir das cinzas do nosso passado tenebroso, reparando todo o mal que fizemos, e plantando, a cada dia seguinte, a cada instante futuro, a semente do amor ao próximo.

Sigamos em frente, amigos, lado a lado, e através da dedicada e va-lorosa e indispensável ajuda aos nossos irmãos de caminhada, esten-damos-lhes as mãos, a fim de que, na ajuda prestada, também possa-mos nos ajudar ainda mais, resgatando, assim, nossos débitos preté-ritos.

Que o abençoado mestre Oxalá, a todos permita, alçando-nos a novas paragens mentais de regeneração, sejamos mais úteis ao próximo que a nós mesmos, e que assim o fazendo, possamos compreender em de-finitivo, a grandeza da oportunidade que Dele estamos recebendo.

Muita paz,

Caboclo Ubirajara

Pub 2017

Carta aos Médiuns ditada pelo Caboclo Ubirajara

Todos são médiuns, mas cada um com um grau de mediunidade e, por isso, devemos nos esconder e pensar que somos loucos?

Claro que não meus filhos!

Aceitem com naturalidade esse grande dom que Deus deu para ajudar ao próximo.


Não deixe que só por você ter um nível maior de mediunidade que seu ego se saia maior que sua humildade.

O maior médium é aquele que humildemente não se expõe se passan-do por melhor, mas sim aquele que ajuda as pessoas sem dizer de onde vem a ajuda.

Filho, não fique preocupado com qual tamanho é sua mediunidade: preocupe-se em praticar o amor e a caridade, e que a cada ano novo em sua vida você faça novos votos com Deus e mais pessoas ajude.

Quando o filho pisar o pé em um Terreiro, ajoelha-se e coloque a mão esquerda sobre a direita no chão e bata sua cabeça sobre sua mão; mostre o respeito ao Terreiro que você entra, pois ali também é sua casa meu filho, uma casa que te ensina o amor, a caridade e a humildade.

Filho, têm Terreiros com muitos problemas, falta de união, falta de busca de conhecimento; não se deixe ficar na mesma, vá atrás de co-nhecimento.

Some com a casa que você frequenta, traga a mudança para ela.


Toda família tem problemas, mas só depende de nós ajudar a mudar.

Mudanças não vem de uma hora para outra, vem aos poucos trazendo maior conhecimento a todos da família.

Tenha sempre fé e lute que você sempre será guiado pelas tuas enti-dades.

Coitados dos zeladores que acham que a religião está para fazer o mal; eles irão pagar muito caro pela sua tolice... achar que essa maravilha que Deus deu foi feito para a prática do mal... eu não tenho medo de dizer a verdade para esses zeladores que não sabem o que fazem.


Acham que nós fazemos o mal, mas se chegamos a essa evolução, não vamos voltar com práticas de mal que os humanos acham que faze-mos.

Podem dizer que não tenho conhecimento do que eu digo e que meu médium é mentiroso, mas vos digo que nada tememos, pois a verdade de Deus não pode ser escondida por medo de retaliações das pessoas ignorantes, pois muitos daqueles que acham que estão com suas enti-dades estão, na verdade, com espíritos de baixa evolução o enganan-do e subtraindo suas energias.


Não filho, tuas entidades não te abandonaram; elas estão por perto, só olhando e deixando você por aprender e, na hora certa você irá ver pelo que passa e irá mudar sua vida e suas atitudes.

Nós, entidades, não deixamos os filhos; apenas damos espaço para eles aprenderem e evoluírem seus espíritos.

Então, meu filho, evolua e deixe seu espírito evoluir.

Psicografado e enviado por Renato de Freitas Rocha

Fonte: Umbanda Eu Curto  - 08/01/2015

Pub 2018

Se desejar conhecer mais sobre
a Umbanda clique em
Voltar