Umbanda: Textos: Apresentação - Ciganos
 


Ciganos

Assim como muitos grupos e massas coletivas são colocados em várias dimensões galácticas e destinados ao encarne, dentro de um critério divino de avaliação e evolução, a exemplo de Capela e outros, os Es-píritos Ciganos que hoje levam esse nome e que foram trazidos para reencarne em massa em nosso planeta Terra de outra galáxia, imi-grando por designação divina de outras dimensões planetárias, carre-gam consigo a sabedoria, os costumes e o conhecimento.

Por milênios vêm reencarnando e seguindo a ordem natural da evolu-ção, conseguindo através dos tempos conquistar seu próprio espaço entre os demais, produzindo e conseguindo seus próprios gráficos uni-versais de força no Plano Espiritual.

Acreditamos que, em razão também da união que os abençoa, acaba-ram por socorrer seus próprios pares que agrupando-se em plena evo-lução, se tornaram uma das mais prestigiadas correntes de trabalho no Plano Espiritual, motivo pelo qual, a par de seus já concebidos conhecimentos e magística, ocupam hoje o lugar de destaque nesta dimensão astral, bem como se justifica, a cada passo, ao longo do tempo, a trajetória admirável que vêm travando junto às Falanges da Umbanda Sagrada e toda espiritualidade, explicando-se dessa manei-ra a importância do trabalho que vêm desenvolvendo neste plano.

Carregam a denominação de Corrente Cigana, tanto quanto as outras tantas correntes de trabalho que conhecemos, com uma tendência natural de torna-se cada vez mais conhecida.

Carregam as Falanges Ciganas, juntamente com as Falanges Orien-tais, uma importância muito elevada, sendo cultuadas por todo um segmento, e que se explica por suas próprias razões, elegendo a prio-ridade de trabalho dentro da ordem natural das coisas em suas pró-prias tendências e especialidades.

Assim, numerosas Correntes Ciganas estão a serviço do mundo imate-rial e carregam como seus sustentadores e dirigentes aqueles Espíri-tos mais evoluídos e antigos dentro da ordem e aprendizado, confun-dindo-se muitas vezes pela repetição dos nomes comuns apresentados para melhor conhecimento, preservando os costumes como forma de trabalho e respeito, facilitando a possibilidade de ampliar suas cor-rentes com seus companheiros desencarnados e que buscam no Uni-verso Astral seu paradeiro, como ocorre em todas outras correntes do Espaço.

O Povo Cigano designado ao encarne na Terra, através dos tempos e de todo o trabalho desenvolvido até então, conseguiu conquistar um lugar de razoável importância dentro deste contexto espiritual, tendo muitos deles alcançado a graça de seguirem para outros espaços de maior evolução espiritual, juntamente com outros grupos de Espíri-tos, também de longa data de reencarnações repetidas na Terra e de grande contribuição, caridade e aprendizado no plano imaterial.

A argumentação de que Espíritos de Ciganos não deveriam falar por meio de não-Ciganos, ou por médiuns não-Ciganos, ou que deveriam fazê-lo no idioma próprio de seu povo, é totalmente e está em desar-ranjo total com os ensinamentos da Espiritualidade e sua doutrina evangélica.

Os Espíritos Ciganos agem no plano da saúde, do amor e do conheci-mento, suportam princípios magísticos e têm um tratamento todo es-pecial e diferenciado de outras correntes e Falanges.

Ao contrário do que se pensa, os Ciganos reinam em suas correntes preferencialmente dentro do plano da luz e positivo, não trabalhando a serviço do mal e trazendo uma contribuição inesgotável aos homens e aos seus pares.

Trabalham preferencialmente na Vibração de Direita, e aqueles que trabalham na Vibração da Esquerda não são os mesmos Espíritos de ex-Ciganos que se mantêm na Direita ostentando a condição de Guar-diões e Guardiãs.

O que existem são os Exus Ciganos e as Moças Ciganas, que são verda-deiros Guardiões a serviço da Lei nas trevas.

Encontramos no Plano Positivo falanges diversas chefiadas por Ciga-nos diversos, em planos de atuação diversos.

Dentre os mais conhecidos, podemos citar os Ciganos Pablo, Wlade-mir, Ramires, Juan, Pedrovick, Artemio, Hiago, Igor, Vitor e tantos outros, e, da mesma forma, as Ciganas como Esmeralda, Carmem, Salomé, Carmensita, Rosita, Madalena, Yasmin, Maria Dolores, Zaria, Sunakana, Sulamita, Wlavira, Liarin, Sarita e muitas outras também.

É importante que se esclareça que a vinculação vibratória e de Axé dos Espíritos Ciganos tem relação estreita com as cores utilizadas no culto e também com os incensos.

Para o Cigano de trabalho, se possível, deve ser mantido um altar se-parado do altar geral, o que não quer dizer que não se possa cultuá-lo no altar normal.

Esse altar deve manter sua imagem, o incenso apropriado, uma taça com água e outra com vinho, mantendo a pedra da cor de preferência do Cigano em um suporte de alumínio.

É importante fazer-lhe oferendas periódicas e mantê-lo iluminado sempre com vela branca e outra da cor referida.

No caso das Ciganas, apenas alterar a bebida para licor doce.

Sempre que possível, deve-se derramar algumas gotas de azeite doce na pedra, deixando por três dias para depois limpá-la.

Os Espíritos Ciganos gostam muito de festas, e todas devem aconte-cer com bastante fruta, todas que não levem espinhos de qualquer espécie, podendo-se encher uma jarra de vinho tinto com um pouco de mel.

As saias das Ciganas são sempre muito coloridas e o baralho, o espe-lho, o punhal, os dados, os cristais, a dança e a música, moedas e medalhas são sempre instrumentos magísticos de trabalho dos Ciga-nos em geral.

Os Ciganos trabalham com seus encantamentos e magias e o fazem por força de seus próprios mistérios, olhando por dentro das pessoas e dos seus olhos.

É muito comum usar-se em trabalhos Ciganos moedas antigas, fitas de todas as cores, folha de sândalo, punhal, raiz de violeta, cristal, len-ços coloridos, folha de tabaco, tacho de cobre, de alumínio, cestas de vime, pedras coloridas, areia de rio, vinho, perfumes e escolher datas certas em dias especiais sob a regência das diversas fases da Lua.

Muitas vezes se formam no Espaço agrupamentos de Espíritos que conviveram em um mesmo clã e percorrem a caminhada da luz e dos trabalhos de caridade juntos, engrossando fileiras nas Correntes Ci-ganas.

As Consagrações Ciganas devem ter sempre comidas nos ritual pró-prio, isto é, no Ritual Cigano.

Pub 2017

Se desejar conhecer mais sobre
a Umbanda clique em
Voltar