Observação:
Amigos, após a leitura, leiam também a solicitação do
Valeriano, que está no final da Homenagem a Cabo Verde, quando ele ainda estava entre nós aqui nesse plano terrestre.
 
Poema "Cabo Verde"
 
Carnaval na Ilha de São Vicente
Carnaval na Ilha de São Vicente

Cabo Verde (Ex-Colônia Portuguesa)
Autor: Valeriano Luiz da Silva

Até o século quinze foi um território desabitado
A partir dai foi por Portugal colonizado,
Que para o tráfico de escravos
Fizeram de Cabo Verde verdadeiro alvo

Cabo Verde que já foi tão explorado
E hoje é um Estado organizado,
Cabo Verde de pequeno espaço territorial
Mas, de grande utilidade no plano internacional.


Cabo Verde onde após a independência
Aplicaram em ti planos de emergência
Que tiveram grande eficiência
Seu povo sofreu, mas venceu com paciência,


Cabo Verde! li muito quando tu estava em estado de pobreza
Mas deste a volta por cima e hoje tu tens muita riqueza,
Em ti houve multiplicação da produção nacional
E duplicação da produção individual


Cabo Verde do grupo de Ilhas de Barlavento
Também das belas ilhas de Sotavento,
De um povo heróico e lutador
Que se libertou do colonizador


Cabo Verde importante ponto de escala das rotas
Onde passam navios e aviões em grandes frotas
Dizem que são deliciosas a "Catchupa" o "Modje", e suas sopas,
Também a lagosta, atum e a garoupa,


Geograficamente é importante a sua posição
Pois entre o caminho da Europa e América do Sul você faz divisão
A quinhentos quilômetros está a Republica do Senegal
Tiveste sorte de estar num ponto excepcional


Sabemos de seu sofrimento por causa da seca...
Mas cremos que a esperança seus filhos nunca perca
Pois, seu povo tem por ti um amor profundo...
Por isso lhe envia divisa de toda parte do mundo


A bela cidade de Praia em Cabo Verde é a Capital...
Mas tem as Ilhas de Maio, S.Antão, S.Vicente e S.Nicolau,
Santa Luzia, Boa Vista, San Tiago, fogo, Brava e Sal,
Brasileiros, conheçam este país irmão colonizado por Portugal,


Falar mais sobre Cabo Verde bem que eu gostaria
Mas primeiro me deixe ir lá quem sabe um dia
Ver in-loco sua arte sua música e poesia,
E participar do solidário intercâmbio cultural da lusofonia.


Anápolis - GO - 11 de outubro de 2005

Hino Nacional de Cabo Verde

CÂNTICO DA LIBERDADE

Controle de volume Canta, irmão
Canta, meu irmão
Que a liberdade é hino
E o homem a certeza.

Com dignidade, enterra a semente
No pó da ilha nua;
No despenhadeiro da vida
A esperança é do tamanho do mar
Que nos abraça,
Sentinela de mares e ventos
Perseverante
Entre estrelas e o atlântico
Entoa o cântico da liberdade.

Canta, irmão
Canta, meu irmão
Que a liberdade é hino
E o homem a certeza.

Algumas Imagens de Cabo Verde
encontradas no Site
http://www.caboverde.com/images/

Cabo Verde    Cabo Verde

Ilha de Santiago   Ilha de Santiago

Ilha de São Vicente   Ilha do Fogo

Ilha do Maio   Ilha do Sal

Formatação: Carlos R. Lemberg
14/10/2005

Observação:
Amigos, o Valeriano no dia 17/10/2005 enviou uma solicitação para que o Poema "Cabo Verde" fosse excluído, tendo vista que não foi bem compreendido por um cidadão de Cabo Verde, mas contrariando o desejo do Saudoso Poeta e Amigo não excluí.
Abaixo segue uma Poesia com o seguinte título:
"
Ingratidão ao meu meu Poema "Cabo Verde""
que ele escreveu quando fez a solicitação.
Leiam atentamente a mesma.
E após a leitura, leiam também o Poema "Cabo Verde"
em que o Valeriano homenageou Cabo Verde.


Ingratidão ao meu poema “CABO VERDE”

Meus amigos e queridos leitores
Eu vos peço um favor
Para que não faça circular
E se possível deletar

Um poema sobre Cabo Verde que o fiz de coração
Eu só quis falar bem e exaltar aquela nação
Mas uma pessoa que desconheço
Me escreveu algo que não mereço

Se é caboverdiano ou não, pouco me interessa
Pois até já deletei a sua ingrata conversa
O poeta escreve o que quiser
Mas ele me chamou de “poeta ralé”

O que mais me entristeceu
É que ele não compreendeu
E o pequeno pais Cabo verde eu só o exaltei
Mas de meus arquivos eu já o deletei

Pra mim foi uma lição
Não escreverei MAIS sobre outra nação
Pois, meu pais é rico e tem 9.511.000 km2 de extensão
E mais de 180.000.000 é a nossa população

Então tenho muito que escrever sobre meu povo hospitaleiro
Que por seu amor e simplicidade trata bem o estrangeiro
Quero divulgar meu torrão natal de uma única língua nacional
E fora dele só escreverei sobre Portugal

Pois meus escritos sobre a mãe pátria foram muito bem aceitos
E todos os portugueses me deram bom conceito...
Mas peço novamente que delete meu poema sobre Cabo Verde
Pois não mereceu a formatação e nem a minha poesia
Que esta pessoa fez tão grande zombaria
Já recebi elogio de Tudo escrevi sobre Portugal
Também da Guine, Moçambique, Angola e Macau
Meu interesse foi elogiar mas se ofendi Cabo Verde peço pra esse leitor me perdoar

Valeriano Luiz da silva
valerianols@globo.com

Anterior   Próxima   Poesias Especiais   Valeriano   Menu Principal