Salmo 27


Senhor,
Minha Luz e Salvação,
que me elevaste sobre a rocha
e exultaste minha cabeça sobre meus inimigos
no dia da adversidade;
que me amparaste,
quando até os meus me abandonaram...
Hoje,
não buscarei Tua face, rogando ouças minha dor.
Pois pressinto Teus olhos vagando no infinito,
na busca, quase insana, de um por quê;
Teu rosto sulcado pelo desamor,
pela selvageria,
dos que Te dizem Pai...
Pressinto Teu coração assim,
amassadinho,
doído,
assustado com o estranho favoritismo de Tuas crianças
por brincadeiras que só causam morte, ódios e destruição.
Hoje, Senhor,
Mestre que me ensinou o caminho
e guiou-me por vereda plana,
Senhor que é a força da minha vida,
não buscarei Tua face, rogando ouças minha dor.
Eu, miserável vermezinho,
Tua ínfima serva, na palavra de Francisco,
venho, apenas, oferecer-Te o que de melhor tenho:
meu colo de mãe.
Repousa nele, Senhor, descansa.
E espera.
Porque um dia,
meu Deus,
os filhos crescem.
Um dia...
Crescem!

Patrícia Neme


 

 
Anterior Próxima Poetas Menu Principal