Por onde está o amor?


Por onde está o amor? Jaz, solitário,
nas brumas do desejo e da loucura...
Nos desvarios vãos do imaginário
das vidas sem verdade, sem ternura.

Exangue, por ser servo involuntário
da vil paixão, que só corpos procura...
O amor padece as dores do calvário
e desfalece em mãos da vida impura.

O amor, do cortejar, da ingenuidade,
que abarca compreensão, cumplicidade...
Em poucos corações é vera chama.

Em raros... Mas, por certo, ele resiste
e grita o seu cantar, alegre ou triste,
nos versos da poeta... Que ainda ama!

Patrícia Neme



 

 
Anterior Próxima Poetas Menu Principal