Com muito orgulho, com muito amor!

Pela primeira vez acompanhei o desenrolar das atividades esportivas brasileiras, agora apresentadas nos
Jogos Pan-Americanos.

Numa fase de desesperança quanto à cidadania, obtive um reforço
em minha crença de que aqui é o meu país, essa é a minha gente,
sou orgulhosamente brasileira.

À medida em que conheci a história de nossos competidores,
fui tomada por emoção inigualável: atletas saídos "do nada",
outros oriundos de projetos sociais, gente correndo apenas
com o calçado da fé e da perseverança, brasileiros - a nossa
gente humilde, lutando por um espaço e um momento.
E a mídia televisionada foi generosa em apresentar os esforços
heroicos que povoam o sonhar no mais recôndito do país.

Sem dúvida, todos os competidores, em todas as modalidades,
são medalha de ouro.
Todos os visionários, que criam quadras no meio do nada,
que se dedicam à formação de quem mal tem o que comer,
são treinadores medalha de ouro.
O Brasil é ouro.

É essa a certeza que me faz ainda ter a expectativa de que um
dia, Deus queira que não muito distante, os nossos poderes
legislativo, judiciário e executivo deixem
de ser o lixo que são.
Porque merecemos dirigentes com o mesmo grau de consciência
e competência dos nossos atletas.
Com a mesma capacidade de superação e esforço.
Com a mesma dignidade e o mesmo orgulho pátrio.

Ser brasileiro, com muito orgulho, com muito amor.

Não, não merecemos essa corja, essa súcia que pulula
nos palácios brasilienses e estaduais.
Não merecemos esse fantoche de interesses outros
(sabe-se lá quais, além daqueles de locupletar-se da coisa pública)
que nunca sabe de nada e rege a orquestra dos
achacadores do povo brasileiro e ousa afirmar que dá
à Polícia Federal a liberdade de investigar o que for necessário;
mas o trabalho é vão, pois tudo fica acobertado, corporativado,
varrido pra debaixo do tapete.
E já há muito jornalista sendo amordaçado,
pois seu falar incomoda.

Presidente, ministros, deputados, senadores, governadores,
vereadores, juízes, toda essa lixarada onde não resta qualquer
resquício de decência, vergonha na cara e pudor,
precisa ser substituída por brasileiros íntegros, esses que estão conquistando a vida passo a passo, por mais árduo lhes seja
o caminho, e que elevam o nosso pendão verde e amarelo
ao patamar da honra e da glória.

Porque temos sede de dormir em paz, na certeza de que há saúde,
pão, escola, emprego, habitação, segurança, respeito e garantia
de futuro para nossos filhos e netos.

Que ante tanta lição de auto-superação e valentia o Brasil
desperte e se ponha em rumo do lugar mais alto do pódio.
E incinere, para que desapareça para sempre, a excrescência
que cada vez mais tenta se apoderar da alma brasileira.

Parabéns, atletas brasileiros.

Obrigada por essa demonstração de luta e coragem.
Obrigada pela renovação das nossas esperanças de um país melhor.


Paz em Deus.

Patrícia Neme




Voltar para a Página de Poesias da Poetisa Patrícia

Menu Principal