Desejo


E quando os olhos teus beijam meu corpo,
trazendo à minha noite, a luz d'aurora,
e as tuas mãos percorrem meus segredos...
Todo um desejo ardente em mim aflora.

E quando teu respiro me entontece,
e o teu gemido por entrega implora,
teu cheiro, forte, macho, me abre os poros,
endoidecida, rogo: “Vem, agora!...”

Todo universo dorme em alva cama,
onde o sentir se faz perene e clama
pelo arquejar das forças animais.

Um gozo, tanto, explode em liberdade,
nos faz trilhar o chão da eternidade...
E, num rugir supremo, eu peço: "Mais!"


Patrícia Neme


 

 
Anterior Próxima Poetas Menu Principal