Boa noite, amor! Se possível for - Domingos Alicata e Regina Bertoccelli

Domingos
Regina

Oi, Amor!
Esta noite eu não te vi...
Por que sites andavas para
não te lembrares de mim...
Percorrias, distraída, outras
distantes teclas...
Oi, Amor!
Incansável também te busquei,
em todos os chats te procurei
E triste fiquei com a tua ausência
em minha pequena tela....


Meu micro, para poder viver,
creia, já depende das formas
do teu rosto, do teu sorriso,
do teu sentimento...
O meu micro também...
Sem que eu queira é a ti
que ele procura, e o teu nome
é o único que ele memorizou...


Nossas almas, conectadas na
simplicidade da poesia, já se
amam como se juntas tivessem
vivido por uma eternidade.
Nossas almas já se conheciam
Mas só agora na poesia é que
elas puderam se encontrar
Juntas, se completaram...


E, com a ansiedade dos amantes
distantes, seguimos o cadenciar
silábico das mensagens que nascem,
com ternura, nos braços líricos das
nossas vidas que, unidas, divagam
livres...
Amantes distantes mas que vivem
com intensidade o hoje, o agora...
Que enlaçados por uma paixão
que ensandece, se permitem
viver nesta virtualidade...


Onde encontrá-la nesta noite?
Seus limites já se dispersam nas
luzes do amanhecer. Numa última
tentativa, abro a caixa de entrada.
Ela só reforça a tristeza fria do
sinal sonoro que aponta o vazio...
Por horas aqui fiquei,
na esperança de te ver chegar
A luminosidade do novo dia
me trouxe a certeza de que
havíamos nos perdido...


Sua ausência incomoda, machuca.
Indica levemente a dor infinita
que marcará o dia em que realmente
partires para sempre...
Não penses assim, meu Amor
Vamos apenas viver o
nosso momento. o agora...
O amanhã ainda está tão longe...


Boa noite, Amor! Se possível for...
Boa noite, Amor! Possível será...

Domingos Alicata
Rio de Janeiro - RJ - 01/11/2005

Regina Bertoccelli
São Paulo - SP - 02/11/2005

Banner exclusivo do Site www.crlemberg.com.br
 
Anterior Próxima Duetos Menu Principal