Pedaços de mim - Denise Severgnini

Em minha unidade,
Fragmentei-me
Quebrei-me toda
Os cacos foram soltos ao vento

A fragilidade do tempo
Não conseguiu unir minha essência
E os pedaços de mim
Vagueiam no espaço.

Atei-me à esperança
De ser outra
Vez criança
E crescer sem máculas.

Atrevi-me a ser mosaico
Mas a solda não foi perfeita
E os pedaços de mim
Tinham cicatrizes
Imperfeições, deslizes...

Quis novamente
A minha unidade
Mas os pedaços de mim
Eram somente - uma saudade
De um todo perdido -
Que do agora ao sempre
Terá, talvez, que viver partido.

Mas, com a minha teimosia natural...
Os pedaços de mim,
Usando de um artifício;
Fizeram um grande sacrifício:
A coesão de suas moléculas
Sofreram a atração fatal.
E voltei ao estágio inicial
À quase unidade!

Denise Severgnini
Novo Hamburgo - RS

As partes de mim - Ilona Bastos

Parte de mim é balão
Que no alto céu flutua,
Pela criança lançado.

Parte de mim é criança
Que em júbilo corre, feliz,
Dançando pelo relvado.

Parte de mim é relvado,
Tranquila e verde extensão
Com suas manchas de flores.

Parte de mim é mulher,
A doce mãe protectora,
Cuidando dos seus amores.

Parte de mim é a moça,
Em namoro apaixonado
No recanto do jardim.

Parte de mim é o banco,
Livro, lápis e papel,
O perfume de jasmim.

Parte de mim é o sábio,
Que observa, paciente,
Balão, criança, relvado,

A senhora e seus amores,
E os moços do recanto,
Em abraço apaixonado.

Ilona Bastos
Lisboa - Portugal


Anterior Próxima Duetos Menu Principal