Aldeia...Esperança - Nadir A. D'Onofrio e Denise Severgnini

Nadir

Denise

O vento gélido, cortante
Como esta sombra que se faz alucinante
Sibila sobre a aldeia deserta,
Ecoando, n'alma sofrida, que desperta
O badalar do sinos das "Iglesias"
Vento, tua essência...
Causando erosão nas falésias,
Triste ausência...


Lembranças de uma vida feliz
Sem tristezas, e humanos ardis
Que o mar, impiedoso estragou!
Como um toque de magia.
Quisera desabrochar alegria,
Como água límpida do chafariz...
Como flores primaveris...

Mas o inverno entorpece
O corpo debilitado.

Entontece
O coração desavisado
Urge hibernar meus pensamentos,
Congelá-los por momentos
Esperar o verão chegar...
E novamente a vida acordar

Quando as aves, aqui pousarem

Em cantilenas, melodias entoarem

Acasalando, fazendo ninhos,
(Eu abrir-me-ei em carinhos)
A esperança em mim renascerá,
Não será apenas lembrança
Esperando você regressar...
E todo o meu amor vou te dar

Nadir A. D'Onofrio
Santos - SP - 02/05/2005 - 14:13 hs
www.nadirdonofrio.com


Denise Severgnini
Novo Hamburgo - RS - 05/10/2005 - 20:29 hs


 
Anterior Próxima Duetos Menu Principal