Clave de Sol - Denise Severgnini

Do dó - domino
A sabedoria da flor
Que exala seu perfume
Mesmo que a lança
Alcance seu lume
Do ré - redimo
Os pecados do tempo
Aos quais, tento apagar
Para que as dores
No peito, alojadas
Possa eu aplacar
Do mi - ministro
A ternura esquecida
A palavra proferida
E tão mal entendida
Num momento de emoção
Do fá - familiarizo-me
Com as promessas desfeitas
Com as vontades refeitas
Do sol – solfejo
As notas, o desejo
Implícito num beijo
Roubado num ensejo
Do amor andejo
Do lá – lamento
A incompreensão existente
No coração de gente
De sentimento indecente
A matar inocente
Do si- silencio
Uma mágoa exaurida
Uma ânsia ardida
Em mio cuore a prantear
Somando-se as notas
De uma melodia tristonha
Componho um poema lavrado
Numa época de pecado
Onde um poeta
Por sua poesia, apaixonado
Tenta escrever o verso rimado
Mesmo sabendo que a seu lado
O desamor impera!

Denise Severgnini
Novo Hamburgo - RS

DoReMiFaSolLaSi - Andrade Jorge

Na nota "Do" tentei te achar,
em "Re" minha voz tentou te chamar,
solfejei "Mi" para te falar,
em "Fá" expressei meu amor,
na clave "Sol" chorei minha solidão,
em "La" meu coração ficou sem carinho,
restou o "Si"
e nela também não te vi
a melodia terminou,
e eu continuei ... sozinho

Andrade Jorge


Anterior Próxima Duetos Menu Principal