Amigos e Amigas, uma pequena introdução explicativa.

            O meu modesto Poema Chuva, começou com o Tema sugerido pelo
poeta e amigo Tonho França, o qual considero como sendo agora o meu Padrinho Poético ao lado também das minhas Madrinhas Poetisas Nadir A. D'Onofrio e Nany Schneider.
            Logo em seguida virou Dueto com a Poetisa Nadir A. D'Onofrio e assim por diante, resolvemos então transformar em Ciranda da Chuva.

Início em 07/07/2006 - Encerrada em 09/07/2006
Com 37 participantes e todos com valiosas colaborações,
com 37 Poesias.

            Apresento os meus  mais profundos  agradecimentos  aos  Poetas  e
Poetisas,  pois sinceramente não esperava  ter tão boa acolhida  por vocês
que já são Consagrados e Renomados na Literatura Poética.
 

 

Chuva

Chuva, chuva, chuva,
quando você vem
nos faz um bem,
lavando a atmosfera,
um ar puro nos traz.
Só uma coisa ainda não faz,
é lavar a mente de quem
não deseja a PAZ

Carlos R. Lemberg
Curitiba - PR - 01/07/2006

Chuva

Chuva caindo
Infiltrando na terra.
Prepara o solo,
P'ra germinação da semente.
Água abençoada,
Por Deus, a nós destinada.
Desce das nuvens,
Lavando o chão.
Por vezes violenta,
Destruindo barreiras,
Fazendo erosão,
Causando destruição.
Água, bem mais precioso !
Brotando em nascentes,
Deslizando pela terra.
Rolando em cascatas,
Ávida por encontrar o mar,
Ou permanecer aconchegada
Silente, na pia batismal.

Nadir A. D'Onofrio
Santos - SP - 04/07/2006 - 15:50 hs
http://www.nadirdonofrio.com

Santa Água

Água caída do céu
regando toda a terra
rega os lugares de paz
rega igual, os que vivem em guerra
Água pura ofertada por Deus
purificando o nosso ar
fazendo brotar na terra
tudo o que bem plantar
Chuva, água divina
sem qualquer poluição
ah! se pudesses lavar também
o coração de cada irmão !

Célia Jardim
Belo Horizonte -  MG - 04/07/2006
http://celiajardimpoesias.zip.net

Chuva Divina !

Chuva leve e cristalina, volvendo
meus densos pensamentos,
Idéias novas, aprazíveis, me traz.

Chuva de alento, alimentando-me com sustento,
Amor, que, vigora dentro do meu peito,
lava minha alma, renova meu espírito.
Faz-me renascer, neste momento.

Chuva do néctar da paz,
transforma-nos em Deuses da harmonia.
Em seu cálice nos cause a embriaguez
destilando o amor na sensatez.

Este solo, desarraigado de confiança
suga gotas de esperança,
jorradas do céu como meio de abonança.

Chuva enviada pelo Divino,
Banhando o amor, sobre seus filhos
purifica a mente dos que não zelam, pela paz.
Anunciando que a guerra não haverá, jamais !!

Sílvia Trevisan
Curitiba - PR - 04/07/2006

Chuva

Chuva, chuva que quando cais
fecundas a terra ressecada
refrigeras a alma tão cansada
e floresces os belos roseirais

Chuva, que nos renovas o ser
Oxalá fizesses homem brotar
No homem a semente do amar
para paz enfim podermos ter

Cai ó chuva e fecunda noss'alma
faz nosso também o cio da terra
que brotem em nós a paz e a calma

Que se encha o peito de primaveras
E no perfume do amor que acalma
Cessem os horrores de tantas guerras

Jorge Linhaça
Arandú - SP - 05/07/2006

A Dança da Chuva

Num lindo bailado chega a chuva,
em respingos suaves molhando
a noite, beijando as flores...
Chega junto uma suave brisa que
mesclada com o perfume das rosas
inebria meus sentidos
Dançando em meu jardim,
bate ela à minha janela me convidando
para o nascer do sol contemplar
Suas delicadas gotículas
reluzem sobre a terra fértil
que agradece, que reverencia
Dança chuva, dança...
Refresca a natureza,
banha meus sonhos...

Regina Bertoccelli
São Paulo - SP - 05/07/2006

E quando a Chuva cai ...

e quando a chuva cai
em sussurros ao nosso redor
as vezes com pausas alongadas
ou suaves pingos nas vidraças ...

e quando a chuva cai
interrompe os silêncios
bate doce no capim que abraça
afaga a natureza que vibra e revive

apaga o ontem infeliz
a melancolia imaginária do sentir
lava a alma poeta
derrama em gotas os pensamentos
escreve letras nos rastros das areias

soa numa fala mansa
grita trovões
acende raios de paixões
e descansa no sinuoso aroma em êxtase

espalha as nuvens
descobre o cais do sol
inunda em versos os sonhos da lua
dos mortais poetas
que esperam o cair da chuva
dos poemas que regam
imortalizando a terra.

Maria Thereza Neves

Chuva das Bênçãos

Choveu
E a chuva lavou a terra
Mas não se fez enchente
Fez-se lixívia, como purgante
Que o intestino aterra

A chuva forte
Não é sinal de morte
É sinal de vida
A semente germina
E frutifica

O fruto é doce
A alma pura
O amor semente
Na alma da gente

A chuva acalma
Enche o rio
Pode arrastar as margens
Mas enche as barragens
De água pura
Que mata a sede
Dos que têm candura

A chuva pode ser ácida
Afinal, o homem polui
O ar que respira
Mas também exala
A poesia que embala
Um sonhar menino
Do passarinho
A ninar em seu ninho

A chuva é bênção
Ao sertanejo cansado
Humilhado
No labor diário
Quando a chuva cai
Sua tristeza se esvai
Um sorriso brota
Na alma já torta
Porque o alimento vem

A chuva é linda
Porque sempre resta ainda
No final da tempestade
Um arco-íris

Denise Severgnini
Novo Hamburgo - RS
http://denisesevergnini.multiply.com

Chuva !!!
Poder de encanto e destruição

Como é aconchegante ao nosso coração,
sentir a chuva no telhado !
Aquele barulho suave e refrescante
onde conseguimos dormir suavemente...

Chuva !!! Destruição !!!
Casas desabando,
mortes eminentes
dor sem limite.

Calor humano,
a chuva aproxima as pessoas
une corações,
traz bocejo a uma criança.

Tempestade, tudo destrói,
leva a morte e desespero
a quem pouco tinha
e tudo perdeu...

A chuva no telhado
deveria ser cantiga de ninar
mas como posso ser feliz
pois nem todos podem se igualar.

E o meu irmão ? Sem teto, sem abrigo...
sentindo o vento frio no corpo
e a água arrastando e destruindo
talvez sua dignidade humana.

Chuva ! Abençoada por Deus,
e como precisamos dela !
mas, urgentemente devemos
conservar amar e preservar a natureza !

Rayma Lima
Goiânia - GO - 08/12/2005
http://www.vida.amor.nom.br

A Chuva que cai

A chuva caindo,
seu sorriso surgindo...
Procuravas carinho,
surgi em teu caminho...
Para aplacar teus desejos,
ofereço-te meus beijos...
Ouça como bate o coração,
por viver esta grande emoção,
de ter-te entre meus braços,
recebendo meus abraços...
dando-te calor,
o calor do amor...
Da chuva protegendo-te,
e amor oferecendo-te...


Marcial Salaverry
Santos - SP
http://www.prosaepoesia.com.br/index.asp

Chuvarada

Através da vidraça... olho a chuva cair...
resvalar pela calçada... colear pela sarjeta
e como animal guloso... engolir tudo que passa.
A noite engole o dia... de luto se cobre o céu !
Até o sol amedrontado fica logo todo arisco...
oculta-se entre as nuvens...
para não ver o corisco !
De repente... tudo acaba...
tudo cessa... tudo pára !
O dia fica molhado... o asfalto fica lavado !
O sol volta a brilhar retraído...
encabulado por tentar se ocultar !
Até a tristeza da gente foi-se com a
torrente...
Que se quedou no passado !!!


Antonia Nery Vanti (Vyrena)
Porto Alegre - RS
http://www.vyrena.prosaeverso.com

Lágrimas do Céu !

A chuva cai, ora suave, ora intensa,
desce encostas, penetra o solo, se acumula,
faz brotar a semente, torna-se a recompensa,
de quem preparou a terra, a aridez ela anula.

No sertão ela banha a terra ressequida,
penetra em suas rachaduras, lava suas feridas,
a natureza ressurge, verdejante, um sopro de vida,
os pássaros comemoram suas vestes coloridas.

Uma lágrima desce no rosto do camponês,
sua alma, em festa, aliviada, a Deus agradece,
a esperança ressurge, os semblantes assumem nova tez,
os rios retomam o seu curso, o povo sofrido faz sua prece.

A chuva sempre é de boas novas portadora,
se bem aproveitada gera muita riqueza,
e através de uma tecnologia inovadora,
no deserto, molhando as raízes, modifica a natureza.

A chuva simboliza a prosperidade,
faz alma se sentir mais protegida,
ela alivia o calor do sol e a ansiedade,
chuva, um toque divino, de muito amor provida.

Bernardino Matos
Fortaleza - CE - 05/07/2006

A Chuva e a Alegria

Chuva que desce dos céus
sobre a terra-mãe e a umedece
e nela germina e nela cresce
as plantas silvestres
ou cultivadas !

Chuva que forma os rios,
para percorrerem solidários
pelas serranias e planícies
e no seu caminhar, nos desníveis
oferece-nos encantadoras cascatas !

Chuva água santa e abençoada,
que salva as ressequidas caatingas
faz reviver os agrestes,
descem ante às preces
do sertanejo sofredor !

Chuva, que, na seca inclemente,
como milagre, faz germinar a semente,
produz para o homem a alimentação,
muda a vida sofrida do sertão,
transforma tudo em ufania,
a tristeza some, vencida
por momentos de indescritível
alegria.

Tarcísio Ribeiro Costa
Brasília - DF - 05/07/2006
http://www.tarcisiocosta.com.br

Chuva

Quando cai a chuva fina
e o meu corpo umedece
floresce em mim a menina
que o tempo não envelhece

Abro meus braços cansados
e abraço sua umidade
lavo a alma e a vaidade
nos meus cabelos molhados

A terra haverá de ingerir
essas gotas de amor
tornando flor a semente
e o dia encantador

E a chuva que tudo lava
e leva o que não nos apraz
quando suave é a benção
de Deus o canto da paz

Beatriz por um triz*
São Paulo - SP

Chove II

E chove dentro de meu coração.
o dia chora por mim.
Chora minhas dores...
de um amor que não vem !
Olho através da vidraça
o choro da chuva.
Chora céu.
Choram nuvens
Choram arvores,
choram fios...
choram pássaros.
Eu choro também...
Essas lágrimas me convidam na chuva caminhar.
Chuva bendita veio pra meu pranto lavar...
Lave meu rosto,
misture tuas lágrimas com as minhas....
vem ....
vem me aliviar !!!
Lave meu corpo sedento de amor.
Lave minh'alma que clama por alguém que saiba me amar.
Vem chuva beija meus lábios
desliza em meu corpo.
Acaricia meus cabelos molhados....
Vem chuva vem me amar,
percorre minha entranhas.
Mistura tuas lágrima com as minhas !
Vem chuva vem lavar minh'alma
que por amor clama...

Ana Maria Brasiliense
Santos - SP - 15/05/006 - 20:26 hs

Chuva !!!

Que banha minha janela,
avisando que chegou.
Que me inspira nas altas madrugadas,
me faz eu escrever versos de amor ...

Chuva abençoada por Deus,
que umedece a terra.
Para que todas as sementes germinem,
que dá vida as belas flores...

Para embelezar o meu jardim,
escuto a chuva batendo na minha janela.
Olho para os vidros embaçados,
com esse presente Divino.
me deleito a escrever...

Escrevo versos de paixões e de amor,
chego a sonhar acordada.
Chuvas de benções teremos,
que beneficia toda a humanidade...

Por isso,
a chuva e umas das fontes.
Das minhas inspirações,
tem muitas utilidades.
Para toda a humanidade,
sem você não podemos vivemos...

É minha fonte de vida,
que faz meu ser viver.
Sem você não consigo viver,
Para mim és tudo,
em cada anoitecer...

Celina Miranda
São Francisco do Sul - SC - 06/07/2006

E finalmente a Chuva…

Senti-me pássaro, ave,
A espreitar a chuva agreste,
No vão da escada de pedra,
Batida pelo sudoeste.

Queria fugir, voar,
Como tinha visto aos pombos,
Quando a chover começou
E se ouviram os ribombos.

Ainda olhei o pessegueiro,
Mas esse, menos feliz,
O mau tempo ia sofrer,
Preso ao chão pela raiz.

Salpicos me incomodavam,
Trazidos pela rajada.
Um arrepio me agitou,
Apesar de abrigada.

T'ria mesmo de esperar
Que a chuva abrandasse,
E com cuidado seguir
Para que os pés não molhasse.

Mas, tinha o coração quente,
Agradecida ao Senhor,
Pela chuva benfazeja,
Após a seca e o calor.

A relva a tapar a terra
Castanha, faz tempo assim,
Folhas a reverdecer
Na humidade do jardim.

Maria da Fonseca
Lisboa - Portugal - 03/11/2005
http://br.geocities.com/mariadafonseca2004/index

Chuva

Caia chuva !
Caia sobre o sertão brasileiro.
Rega o solo,
mata a sede,
mata a fome !
Acaba com a seca,
torna o solo fértil,
faze germinar o plantio.
Deixa brotar o alimento
que o povo precisa para seu sustento.
Caia chuva abençoada,
fenômeno divino.
Se não cais sobre o nordeste
deixa seus filhos em desatino.
Caia chuva !
Caia forte e abundante,
lava a terra,
mata a sede, mata a fome.
Faze brotar a esperança
no coração dos homens.
Caia chuva !
Traga a sorte,
que a seca pode levar à morte.

Marilda Conceição
Rio de Janeiro - RJ - 06/07/2006

http://marildaternura.bravehost.com

Chuva

Chuva pode ser benéfica, fresca e renovadora,
mas também se for num temporal, destruidora !
Chuva pode ser um bálsamo que nos refresca,
ou porém, uma má tempestade que não presta !

Chuva pode trazer ao seco deserto, a renovação,
todavia pode causar uma enorme devastação...
chuva pode acabar com a fome do pobre povo,
ou pode destruir e ter que recomeçar de novo.

Chuva é que a estéril terra que aguarda, fecunda,
chuva é que se infiltra nas montanhas e aí funda,
as correntes de onde nascem os ribeiros e rios...

nas cascatas a chuva dá gargalhada que inunda,
de trinados, arco-íris e faz da tristeza, moribunda,
em trovejantes colunas ou ténues e elegantes fios !

Arlete Piedade-Fada das Letras
Santarém - Portugal
www.mundopoeta.net/fadadasletras

Chuva de Lágrimas

Nos quadriláteros do dia
miragens de fogo queimam a alma
Incendeiam o frágil coração
com as chamas da negra solidão

A chuva cai em forma de lágrimas
Encharca o umbigo da dor
Chora a estúpida morte do amor
Castrada por um poeta sedutor

A vida de joelhos peregrina
o beijo gélido do inverno
Quem sabe acabe com o inferno
da agonia deste vida ferina

Gotas molhadas de ilusão
cambaleiam nuas pelo chão
Afogam-se nos braços tesos
na fria flor da desilusão

Zena Maciel
19/03/2000
http://geocities.yahoo.com.br/zenainversos

Chuva de Amor

Chove
silêncio total
silêncio n’alma.
É gostoso o romper da madrugada
sentir os pingos baterem
lento na janela.
Este vento que entra forte
é uma solidão imensa
Mas gratificante.
Penso em você
em sua vida.
uma saudade imensurável
vontade de ser um pássaro
voar até seu ninho.
Vejo-a deitada
Recolhida.
Observo com calma
é gostoso te ver nesta distância
observar teu respirar
sono gostoso
Esta mão no rosto
semblante calmo.
Parece um anjo.
Faz-me feliz.
Por mais que Eu queira te esquecer
não consigo
vivo você nesse silêncio
madrugada tranqüila
tudo é maravilhoso
faz bem a alma
valeu a pena
esse navegar a deriva a tua procura
valerá muito mais.
Durma em paz
Amor de minha vida.

Zelisa Camargo
Goiânia - GO

A Chuva

A chuva que cai do céu cinzento
é para molhar a terra seca,
pois Deus ver tanto sofrimento,
que chora e suas lágrimas são ungüento.

O povo sofrido com a terra rachada,
a força no braço querendo na terra trabalhar,
meu Pai, uma boa chuva, ela fica molhada,
e preparada para amanhar.

Cai chuva, molha todo o nosso sertão.
Somos fortes, queremos só plantar,
trazendo felicidade ao coração
e ouvir novamente meu povo cantar.

Depois da terra lavrada com o arado,
felizes por ela está preparada para a sementeira,
a cantoria entoa de felicidade no cercado
oremos ao Pai, por termos o que vender na feira.

Raquel Caminha (Lindinha)
Fortaleza - CE - 07/07/2006


Ah ! Chuva traz o meu amor

Chove forte lá fora
vou até a janela e olho os carros que passam
iluminando a avenida com seus faróis acesos.

Penso então quem serão essas pessoas ?
de onde vem ? para onde estarão indo ?
quais seus problemas, suas alegrias ? seus sonhos ?

Acho que essa noite escura me deixaram melancólica
volto para meu quarto, todos viajaram estou só
a família sei para onde foram e meu amor onde estará ?

será que lá também esta chovendo ?
estará pensando em mim ?
como gostaria que estivesse aqui agora

nesta cama, rolando nestes lençóis
me abraçando, me beijando
gemendo ao meu ouvido mas...
estou só, sei que hoje não virá

Léa Rodriguez
Araraquara - SP


Dançando na Chuva

Quero a magia da chuva
...da música
nos contagiando
nos enfeitiçando,
entrando pelos poros
em nossos corpos,
em nossa alma
Vemmmm
Vamos sair por ai
Sinta a chuva no rosto
sinta ela aos poucos
molhar teu corpo
Vemmmmm
Vamos no ritmo da chuva
dançar
sorri e cantar
Vamos sair por ai
com alegria no coração
soltando nossa emoção


Iza Mota
Recife - PE


Perigosas Tempestades

Chove lá fora
Mas essa chuva cessará.
Com ou sem os relâmpagos e trovões
tudo voltará ao normal
Dentro de mim há uma chuva de lágrimas
bem mais intensa...
Esses trovões
arrebentam meus sentimentos
e os relâmpagos partem minh'alma.
Tenho medo, muito medo
de que essas lágrimas
que molham meu corpo
deixem marcas...
E essas marcas
não desapareçam jamais.

Míriam Torres
Itanhaém - SP

Chuva

Pranto inesperado e natural
Lavando a alma, escorrendo emoção
Refrescando lentamente o coração

Ah !...Sentimento sem igual
Embevecido e revigorado
Sem futuro e nem passado

Chove desabando a tempestade
Sem espaço e sem dimensão
Chove, florescendo a paixão

Chove, agora a garoa
É ausência, sem claridade
Nos respingos da saudade

Priscila de Loureiro Coelho
São Paulo - SP - Junho 2006


Chuva Bendita

Vem chuva bendita
de ti vem a vida
deixas a terra molhada
por ti abençoada.
Terra agradecida
grãos germinados
por ti enraizados
pelo solo espalhada.
Com teu embalar
eu adormeço
é como cantar
um lindo recomeço.
Quando esbravejas
e o solo, nervosa, beijas
destruindo a natureza
e toda a beleza...
Segues teu caminhar
caindo em torrente
entras na corrente
consegues arruinar.
Não é de ti a culpa
o homem te deve desculpas
pelas matas devastar.
Tu és necessidade
contigo, felicidade
Vem chuva, vem !

Sônia Maria J. Sogawa
Contagem - MG

Mistura das Águas

É a chuva que cai e corre pelo vidraça
Nesta tarde do rigoroso inverno vigente
Avisto um cão que perambula negligente
Um guarda encolhido na guarita da praça

No canteiro amontoados de folhas velhas
Tudo em volta parece vazio, é a solidão
O cenário perfeito em minha alucinação
Onde minh'alma neste cenário se espelha

E nestes pingos de chuva que lavam a rua
Misturo as lágrimas que rolam pela face
Amanhã será outro dia e o sol reaparece
Os sonhos se renovam ao despertar da lua

Renate Emanuele
São Paulo - SP
http://br.geocities.com/atelierbaron

Chuva

O cálice repousa antigo tinto
sobre o linho branco, esgarçado
o abajur lança sombras repetidas
na mesma mesa de canto
de anos, anos, anos.
a solidão das noites me fez poeta
algumas despedidas me deixaram mais frio,
e essa tristeza que trago nos olhos
é (in)conseqüência da vida
esses versos, esse cálice,
o coração que embarga a voz,
a foto estática a me observar, atroz
me corrói, me devora, me comove,
é (in)conseqüência da vida
a previsibilidade com o tempo se move
não importa a dor que sinto aqui dentro
lá fora, só chove, chove, chove,


Tonho França
http://www.tonhofranca.hpgvip.ig.com.br

Chuva de Lágrimas

Chove lá fora...
Aqui dentro meu coração transborda de lágrimas !
Oh chuva, quanta diferença entre nós...
Seu choro é uma dádiva de Deus !
Meu choro ao contrário, não tem dádiva, é só tristeza !
Estou longe, muito longe de meu bem.
Às vezes me pergunto, por que o amor é chamado de "bem" ?
Ele só mal me faz !
Fez-me amar alguém, que de mim não tem pena !
Talvez, até nos braços de outra esteja.
Mas, eu não consigo tirá-lo de meu coração e esquecê-lo !
Oh chuva, dádiva divina !
Por que você, não o traz de volta pra mim ?
Por que você, não faz renascer em seu peito
Aquele amor, que um dia foi meu ?
Ah se você pudesse me ouvir !
Com certeza não molharia, só os campos dessa terra !
Mas levaria também o meu amor
Para amolecer o coração daquele ingrato !

Gena Maria Camargo
Marília - SP
http://magiadaspalavras.vilabol.uol.com.br
http://genamaria.blogspot.com
http://meupoema.blogspot.com

A Chuva Cai..

A chuva cai em sua melodia compassada...
A chuva que alimenta o solo,
Que traz memórias doces,
Que traz o rosto da amada,

A chuva cai....
E no telhado,
Se faz cantiga de ninar...
E quando respinga no mato,
Deixa as folhas a orvalhar...

A chuva cai,
E adentra no barraco,
Molhando o solo do pescador...
Sua cama gelada,
E respinga em seu cobertor....

A chuva vem de mansinho
Tocar a terra em sua essência
E quando forte em seu caminho,
A tola a lama com veemência...

E quando a natureza olhamos,
E por ela apreciamos,
A chuva vem e lava a alma
Num cheiro de terra molhada,
Que traz de volta a infância,
Na brincadeira atrapalhada..

O sol se esconde atrás das nuvens
E num quadro místico e colorido
A chuva cai,
Em seu leito adormecido...

Cezira T. Morcelli Vaz - (It@lianinha)
São Paulo - SP
http://www.georgedeville.hpg.ig.com.br

Chuva

Chegas de repente, rasgando as nuvens,
e te precipitas... Livre, serena, como
se a natureza devolvesse, de uma só vez,
todas as lágrimas de amor choradas por mim...

Em monocórdico compasso, deixas marcas
em meu coração. Profundas... E as imagens
de antigos amores retornam. Muitas ainda
vivas, outras mortas, algumas insignificantes...

Meus olhos choram o desejo do impossível...

Que trouxesses o meu verdadeiro amor.
Não a mulher, o corpo, a matéria, apenas a alma.
Pura, leve, como te apresentas agora, e me
levasse com ela...

Com todo o amor que ainda resta em mim...
E que, por tristezas de amor, jamais voltasses
a cair...

Domingos Alicata
Rio de Janeiro - RJ - 07/07/2006


Chuva

A chuva seguidamente cai...
Meus cabelos e meu corpo
Molha e encharca
Fico leve e solta

Mágoas e tristezas...
Com a chuva se esvaem
São levadas e absorvidas
Pela terra que habito...

Chuva que de verde colore
Os campos e as matas
Que dá aos jardins
Um tom alegre, multicolor...

Quando a chuva vai embora
Deixa muito alegre e feliz
Toda terra habitada
Recebe com sorrisos o sol
Que a vida também representa...

Semida Cauduro Rodesky
Rio de Janeiro - RJ - 08/07/2006

Chuva Serena

Molha meu corpo, lavando minha alma
Misturando o suor de meu corpo cansado
De estradas percorridas, sem te encontrar,
Nos labirintos desta saudade infinita.

Ultrapassa esse imenso abismo sombrio
Onde minha voz ecoa, chamando pelo seu nome
Perdido, nesse emaranhado de culpas e perdões,
Onde a cabeça não justifica o coração.

Faça brotar a ilusão, nestes olhos molhados
Já confuso de chuva e lágrimas ardentes
Que queimam minha alma e meu peito
Em uma calada e sombria desilusão.

Sávio Assad
Niterói - RJ - 08/07/2006

Gota a gota

as lágrimas do céu caem em fios de ouro.
Chamam-se chuva estas gotas de Amor
que transformam o árido em fértil e belo.

Escutem com atenção este som
de quem traz tudo de bom
E olhem "por entre as linhas" do arco-íris, o seu tom

Recebam com carinho esta lágrima divina,
que também nos faz chorar
quando das margens dos rios Deus a faz jorrar

Mostrando à Humanidade que, de tão distraída,
já não vê a cor e não ouve o som
desta água bendita e apenas a tenta "aniquilar"
quando as árvores faz abater.
E então as gotas que nos deviam fazer agradecer
por vezes, também nos fazem sofrer,
neste mundo frenético
diria, mesmo, patético.

Ana Ferreira Trindade
Lisboa - Portugal


A Chuva

No alto, lá na imensidão
nuvens parecem algodão
de repente o céu escurece
e a chuva logo aparece

toda a terra vai molhando
novas vidas germinando
seguindo o rumo da Natureza
a paisagem fica uma beleza

e nesse vai-e-vem constante
tudo fica belo e mais radiante
é a fonte que a Terra dá vida
abençoada sempre bem-vinda..

Sueli do Espírito Santo

http://br.geocities.com/sueli_espirito_santo/index.htm

Llueve

Llueve, a traves de mi ventana llueve
Llueve en el alma de los pobres
Y el cristal del invierno se eterniza en la piel.

Lluve en el pan humedo sobre la mesa pobre
Llueve en los pies descalzos del niño abandonado
Llueve en los pobres ojos del anciano aquel,
Llueve en los huesos del que en la calle perecio.

Llueve egoismo, llueve dolor
Llueve en mi alma, llueve
Siempre... llueve en el invierno
Y me deja la esperanza rota de tanta
Agua y tanto dolor...llueve.

María Cristina Aliaga Luna
Chile - 08/07/2006
http://usuarios.lycos.es/mcal7


Banner exclusivo do site www.crlemberg.com.br
 

 


 

 

 

 

 

Todos os direitos reservados.
É proibido o uso e reprodução total ou parcial destes gráficos sem o consentimento
por escrito do autor.
Esta página está otimizada para uma resolução de 800X600 ou superior.